7 de julho de 2008

mp3 do dia - grouper

grouper
Via de regra, não somos felizes, nem tristes. Ficamos no meio, balançando para lá e para cá, sem muita resolução. Por isso que os extremos emocionais na música, tão distantes da nossa constante apatia, nos comovem tanto. De um lado, há o carnaval, naquela alegria alienada e intransigente de cores, batidas e carne; do outro, há a música de introspecção, como a da senhorita Liz Harris, ou Grouper, equilibrando-se entre o ascetismo da ambient music a delicadeza melódica do dream-pop.

Dos dois extremos, é essa melancolia que, de fato, mexe comigo. Como ela é mais bela do que a marchinha, o samba, ou qualquer música deliberadamente feliz!

As razões desse masoquismo sonoro são incompreendidas, mas ele é um fato. Seu sentido surge, lá dentro, nos primeiros ruídos de Heavy Water/I'd Rather Be Sleeping. Fingir a felicidade não é mais necessário; a música já está a reverberar com a nossa real tristeza interna.

O corpo começa a reagir, as toneladas de areia começam a se deslocar, revelando templos, estátuas, artefatos das nossas origens sombrias. Por 3 minutos, nossas vísceras ficam lá, expostas e a céu aberto, em uma fragilidade que jamais permitimos a nós mesmos.

Essa música é individual, solitária, no quarto com porta fechada ou no fone de ouvido. A interrupção seria o nosso colapso. Não podemos nem ao menos ser vistos por outros enquanto nesse estado só nosso, de gestos, olhares e bocas que nunca revelamos. Seríamos vivisseccionados.


[MP3: grouper - heavy water / i'd rather be sleeping]
do disco dragging a dead deer up a hill (type records, 2008)

Um comentário:

rodrigo maceira disse...

a type é o paraíso. estou com uma seçãozinha só do selo na minha estante de cds. de lujo! rodrigo