19 de maio de 2009

club de las serpientes #26 - círculo polar anárquico

circulo polar anarquico
Ushuaia sempre me faz pensar na história de um amigo meu. A namorada e ele decidiram passar o inverno com pouco dinheiro e muito frio. Quando me contou, pensei que fosse uma espécie de provação. Se resistissem, era amor de verdade. O Lucas é fotógrafo. Comprou um casaco pesado, grande, três ou quatro camadas de uma espécie de camurça sintética. Lucas não come carne. A Lucía juntou tudo numa mochila. O tudo dela, segundo o Lucas, sempre foi pouca coisa. E olha que a garota tem plata, mucha plata. Conheci a Lucía na Livraria Cultura, aqui em São Paulo. Anotei uma lista imensa de novos autores argentinos, recomendações suas, e, depois, entendi o encanto do Lucas com a garota. Mi madre es una mujer libre, me disse. Os corações revolucionários só se apaixonam por mulheres livres, escrevi para o Lucas, semanas depois. De toda essa história, de tudo o que eu sei e não sei sobre Lucas y Lucía, hoje separados, fiquei com a declaração de amor mais bonita que aprendi na vida. Fazia três dias que Lucas tirava fotos de Ushuaia. Montanha de um lado, horizonte infinito do outro, o limite da beleza azul, sempre melancolia, que nunca se repete fora da Argentina. Num determinado momento, Lucía pediu a câmera. Espera, quiero hacer una foto. Quando o Lucas saiu do enquadramento, para não obstruir a paisagem, Lucía disse, naturalmente: "não quero foto de Ushuaia, querido, quiero una foto tuya, mi amor”. Revi o retrato outro dia: é lindo.
Rodrigo Maceira







[MP3: circulo polar anarquico - guantes que no abrigan nada]
myspace.com/cancionesdeplastico

Um comentário:

Gilberto disse...

Que texto belíssimo!